Qualidade do Ar

Monitorar o ar é observar continuamente as concentrações na atmosfera de quaisquer poluentes que afetam a qualidade do ar. Nesse sentido, o objetivo da rede de monitoramento da qualidade do ar é avaliar continuamente as características que tornam o ar um ambiente propício ao ser humano e ao meio ambiente em geral, possibilitando observação das emissões relativas às fontes fixas e móveis.

O índice de qualidade do ar – IQAr é uma escala informativa das concentrações, estabelecida pelo CONAMA 03/90. A mesma legislação estabelece ainda os padrões primários e secundários da qualidade do ar. Os padrões primários são as concentrações de poluentes que, ultrapassadas, poderão afetar a saúde da população. Já os padrões secundários de qualidade do ar, são as concentrações de poluentes atmosféricos abaixo das quais se prevê o mínimo efeito adverso sobre o bem estar da população, aos materiais e ao meio ambiente em geral.

O Estado da Bahia adota um sistema descentralizado de gestão da qualidade do ar, contando com duas redes privadas de monitoramento do ar: a rede de monitoramento da CETREL e a rede da Petrobrás – RLAM.

A rede da CETREL conta com 18 estações fixas e uma móvel, fazendo tanto o monitoramento do entorno do Pólo de Camaçari, com 10 estações fixas, monitorando continuamente 54 poluentes atmosféricos em atendimento à Portaria IMA 12.064/09, quanto do município de Salvador, com 8 estações fixas e uma móvel. A rede de monitoramento da Petrobrás – RLAM conta com 4 estações fixas no entorno da refinaria, abrangendo os municípios de Candeias, Madre de Deus e São Francisco do Conde.

Os parâmetros monitorados no pólo industrial são os seguintes:

Material Particulado Inaliável (PI) – em 5 estações
Dióxido de Enxofre (SO2) – em 10 estações
Óxidos de Nitrogênio (NO+NO2) – em 7 estações
Monóxido de Carbono (CO) – em 4 estações
Ozônio (O3) – em 4 estações
Metais (Chumbo, Cromo, Cobre, Ferro, Níquel, Arsênio, Mercúrio) – em 2 estações
38 Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) – em 6 Estações
Amônia (NH3) – em 3 estações
Compostos Reduzidos de Enxofre (TRS) – em 4 estações
Hidrocarbonetos Totais (melânicos e não-metânicos) – em 2 estações

A rede de monitoramento da Região Metropolitana de Salvador é fruto do acordo de cooperação técnica assinada entre o governo do estado da Bahia, a CETREL, Braskem e a Prefeitura de Salvador. Em fase de implantação, a rede de monitoramento da região metropolitana de Salvador entrou em operação em 2010, com a instalação da primeira estação na Avenida Paralela.

Atualmente estão em operação oito estações localizadas: na Paralela, Dique do Tororó, Campo Grande, Pirajá, Rio Vermelho, Av. ACM, Itaigara e Av. Barros Reis. Os parâmetros monitorados visam estabelecer às emissões relacionadas aos grandes centros urbanos, associadas, sobretudo, às emissões automotivas.

Os parâmetros são os seguintes:
Dióxido de Enxofre (SO2)
Óxidos de Nitrogênio (NO+NO2)
Monóxido de Carbono (CO)
Ozônio (O3)

Somando-se todas as estações de monitoramento da qualidade do ar, a Bahia conta com um total de 23 estações. A previsão é que brevemente a rede de monitoramento possa ser estendida a outros centros urbanos do estado da Bahia.

Clique aqui e acompanhe os resultados do monitoramento