APA da Baía de Camamu

Decreto de criação:
Decreto Estadual nº 8.175 de 27 de fevereiro de 2002

Importância da APA Baia de Camamu
Preservar os manguezais, assegurando a diversidade genética da fauna e flora nativa e seus processos evolutivos, em especial a avifauna migratória; proteger as águas doces, salobras e salinas; disciplinar o uso e ocupação do solo; promover o desenvolvimento de atividades sócio-econômicas compatíveis com o limite aceitável de câmbio (LAC); combater a pesca predatória; proteger os remanescentes de floresta ombrófila.

Localização e área
A APA Baía de Camamu com 118.000 ha abrange os municípios de Camamu, Maraú e Itacaré, envolvendo as terras, as águas e o conjunto de ilhas e recifes inseridos em sua poligonal.

Atributos Naturais
A Baía de Camamu descortina-se em uma área de aproximadamente 24 km de largura e 43 km de fundo, na região conhecida como Costa do Dendê. É a terceira maior Baía brasileira onde se destacam sua beleza cênica e importância ecológica, tais como: a lagoa do Cassange, com 8 km de extensão, permeada em parte por restinga ainda preservada; extensos manguezais, resquícios de Mata Atlântica em bom estado de regeneração; cachoeiras e seqüências de praias com enseadas e piscinas naturais.

Aspectos Relevantes
Povoado de Barra Grande
Cidade histórica de Camamu
Povoado e cachoeiras de Tremembé
Ponta do Mutá
Ilhas
Piscinas naturais
Lagoa do Cassange
Praia de Saquaíra
Praia de Algodões

Principais Conflitos Ambientais
Desmatamento de manguezais
Invasão de áreas de preservação permanente
Drenagem de áreas alagadas para implantação de condomínios
Ocupação desordenada do solo
Substituição da vegetação nativa de Mata Atlântica, restinga e manguezais por monoculturas de coco.