Sema e Inema realizam Seminário de Sustentabilidade e Gestão Ambiental

Com cerca de 500 pessoas inscritas, iniciou hoje (21) o Seminário de Sustentabilidade e Gestão Ambiental, de forma virtual. O evento é realizado pelo Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), em parceria com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema). A abertura foi realizada pelo presidente do Cofic, Carlos Alfano Neto, que destacou a troca de conhecimento e experiência do time de especialistas escolhidos para as palestras e mesas redondas. “Essa é uma grande oportunidade de debater a conservação e promoção do meio ambiente para se ter cada dia mais um planeta sustentável, além de aproximar o pólo industrial da sociedade’, ressaltou.

A secretária do Meio Ambiente e diretora-geral do Inema, Márcia Telles, falou sobre esse momento pós-pandemia e destacou as ações do órgão ambiental para promoção da sustentabilidade. “Para além dos impactos na economia mundial, a pandemia do novo coronavírus proporcionou alterações significativas de comportamento da sociedade, nos forçando a adotar novas posturas em relação ao meio ambiente. Entendemos que nossa nova fase 4.0, as indústrias necessitam para a sua sobrevivência se alinhar com as questões de sustentabilidade. Um exemplo positivo que toda essa tragédia trouxe foi necessidade de gerar energia de forma mais limpa e consciente”, pontuou.

“O ultimo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) mostra a situação ambiental caótica no planeta. Não adianta falar de tantas melhorias e tantos processos, se as pessoas não tiverem o entendimento e acesso a novas formas de consumo. A sustentabilidade precisa estar inserida nos nossos processos e modo de pensar. É preciso o equilíbrio com o meio ambiente”, lembrou Telles.

A gestora também apresentou diversas Portarias e Instruções Normativas adotadas pelo Inema, que trouxeram avanços na política ambiental da Bahia. “Ao longo desses anos, percebo que existe uma conscientização dos empreendedores e isso nos auxilia na hora do licenciamento. Com o entendimento quanto ao que órgão ambiental espera e exige, saímos da lógica de desenvolvimento econômico, inserindo a inovação nos processos produtivos com o olhar da sustentabilidade”, explicou Márcia Telles.

Neste primeiro dia, as explanações e debates tiveram como foco a Segurança Hídrica, com palestras do diretor-presidente da Cetrel, João Lins; e do superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA), Flávio Hadler. O superintendente de Inovação e Desenvolvimento Ambiental da (Sema) e diretor de Recursos Hídricos e Monitoramento Ambiental do Inema, Eduardo Topázio, fez a mediação da mesa-redonda sobre o tema, com a participação de Tiago Hiroshi (Embasa), Fernando Rajendra Genz (especialista), Marcello Abreu (SIHS), João Farah (Cetrel).

“A água é um bem público e o Estado tem um papel importante de regular esse processo de distribuição do recurso hídrico. As redes de monitoramento são recentes, e esse é um desafio para nós. Já quanto à água subterrânea, não temos quase dados nenhum, e a lei coloca a idoneidade para os estados”, explicou Topázio, que também falou sobre a escassez e crise hídrica na Bahia. “Estamos no semiárido, onde normalmente acontece à seca e vez ou outra uma crise hídrica, como consequência dessa mesma seca, que está ligada as questões do clima. O conflito não é pela falta de água e sim pela má distribuição dela. Temos esse conflito devido à disponibilidade hídrica por causa da grande demanda, alem de haver setores que não querem a instalação da barragem. Chamo a atenção também sobre a qualidade da água. Vivemos em período contraditório onde temos uma densa quantidade de mananciais, mas que ao mesmo tempo estão perdendo a sua qualidade devido à falta de estrutura e a má utilização desse recurso hídrico”, finalizou.

Segundo dia de evento

Na sexta-feira (21), o debate será sobre a Indústria 4.0 e o Gerenciamento de Áreas Contaminadas. A primeira palestra terá como foco as “Iniciativas das empresas no âmbito do ESG”, com Rosana Avolio (Braskem). Logo após, o tema “Indústria 4.0 e Meio Ambiente” será abordado por José Luis Gonçalves de Almeida (Senai/Cimatec) e Antonio Leopoldo Castro (Inema) e o tema “Economia Circular”, por Sergio Monforte (CNI) e Tiago Porto (Sema).

O “Gerenciamento de Áreas Contaminadas” será apresentado em duas perspectivas: a experiência nacional, por Rodrigo Cunha (especialista) e a experiência internacional, por James Henderson (Nicole). Em seguida terá a palestra sobre “Remediação Sustentável”, com Joyce Cruz (Cetrel) e a apresentação de dois casos práticos, com Tereza Lisboa (Inema) e Paulo de Sá Rego (Adivisian /Jacobs). No encerramento, será apresentada a “Instrução Normativa Nº 002 de 18/06/21 sobre Desativação de Plantas” por Leonardo Carneiro (Inema).