Inema realiza oficina de encerramento do Projeto Territorial na Comunidade Quilombola de Dandá, da APA Joanes Ipitanga em Simões Filho

Acontece, nesta quinta-feira (30/08), a oficina de encerramento do Projeto denominado Planejamento e Organização Territorial Participativa na Comunidade Quilombola de Dandá, realizada na sede da Associação, situada na APA Joanes Ipitanga, em Simões Filho, e desenvolvido com recurso de compensação ambiental.

As oficinas junto ao Quilombo Dandá foram iniciadas em 21 de março de 2019, a partir de reuniões de sensibilização envolvendo agricultores, líderes comunitários, mulheres e jovens, representantes da Lafarge Brasil S/A, da Ceries Tecnologia Ambiental, empresa executante do contrato, técnicos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). A atividade de validação dos resultados das oficinas, tem o objetivo de formalizar, refletir e avaliar os resultados obtidos nas oficinas realizadas ao longo de todo o desenvolvimento do projeto.

O projeto está estruturado a partir de um conjunto de oficinas participativas, objetivando a busca da transformação socioambiental da localidade, na medida em que são planejadas ações e atividades para o atendimento das suas necessidades, o fortalecimento de interlocuções permanentes com diferentes agentes sociais e a definição de estratégias de organização do seu espaço territorial, além de estabelecer alternativas de desenvolvimento compatíveis com a cultura tradicional, a conservação e a preservação dos recursos ambientais.

Os trabalhos foram realizados de forma participativa com a comunidade, envolvendo a produção de materiais didáticos, mapas, diagnósticos de uso e ocupação do território, além de oficinas de planejamento territorial educação ambiental, agroecologia, patrimônio cultural e turismo de base comunitária, elaboração de projetos, plano de negócio e captação de recursos, associativismo, dentre outras, na perspectiva de contextualizar a situação atual e a criação de cenários futuros e possibilidades para o território.

Nesse sentido, potencializa os objetivos de criação da Unidade de Conservação e fortalece as ações do Inema como órgão gestor ambiental no estado da Bahia.

O Projeto – surgiu a partir da aplicabilidade de recurso proveniente da compensação ambiental do empreendimento da Estação de Moagem de Aratu da Votorantim na Bahia, de responsabilidade da LAFARGEHOLCIM, mediante Termo de Compromisso de Compensação Ambiental (TCCA) nº 002/2016, firmado com a Sema.

Os quilombolas desenvolvem atividades voltadas para a agricultura familiar, artesanato, comercialização, potencializando a manifestação dos saberes, das tradições culturais e religiosas, aliadas ao cuidado com o patrimônio ambiental.

A Comunidade Quilombola de Dandá está inserida na Área de Proteção Ambiental (APA) Joanes Ipitanga, criada por meio do Decreto Estadual Nº 7.596, de 05 de junho de 1999, tendo como objetivo a proteção dos mananciais que integram a bacia do rio Joanes, através do compartilhamento dos seus usos e a ocupação do território com base nas suas características socioeconômicas e ambientais.

Esta comunidade, localizada no município de Simões Filho, está certificada pela Fundação Palmares desde 2004 como remanescentes de quilombo, com titulação de cerca de 347 hectares, onde pode ser destacada a presença de recursos hídricos que contribuem para a bacia do rio Joanes e um significativo remanescente de Mata Atlântica.