Modernização da Gestão Ambiental no Estado da Bahia é pauta de reunião entre o Inema e a FIEB

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) foi convidado para apresentar o tema Modernização da Gestão Ambiental no Estado da Bahia – Avanços e Desafios em uma Reunião do Conselho de Sustentabilidade da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB/CS), realizada na tarde desta quinta-feira (15/07). O encontro, que aconteceu de forma online, pela plataforma Microsoft Teams, reuniu o presidente do referido conselho, membros e convidados do setor empresarial da FAEB e Fecomércio.

Representando a secretária-interina da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Márcia Telles, o diretor de Regulação (DIRRE) do Inema, Leonardo Carneiro, iniciou a apresentação falando sobre a evolução histórica durante os 48 anos de gestão ambiental e discursando sobre a integração do antigo CRA e Ingá ao atual Instituto.

Na ocasião, Leonardo elogiou a reforma estrutural dos órgãos ambientais, implementada pelo antigo gestor da Sema, Eugênio Spengler – falecido em fevereiro deste ano. “Acredito que o maior destaque que ainda temos no que diz respeito a uma modernização durante esses 48 anos de gestão ambiental foi a integração da Sema, Ima e Ingá, uma ótima iniciativa que partiu do antigo secretário de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, no ano de 2008”, sinaliza o diretor de regulação.

Ele complementa ainda dizendo que desde essa alteração na estrutura organizacional, o Instituto evoluiu bastante, principalmente no que diz respeito às Políticas Ambientais do estado, que passaram a ser menos burocráticas devido a centralização delas em um só órgão, o Inema. “Com essa integração, todas as políticas se tornou uma Politica Ambiental única, então essa iniciativa, para mim, foi excelente, porque reduziu muitos processos burocráticos facilitando o processo legal para os que pretendem regularizar, outorgar e licenciar seus empreendimentos”, ressalta Leonardo.

Outra grande evolução destacada durante o encontro, foi a criação do sistema estadual de informações ambientais iniciada de fato em 2012. Leonardo explica que antes todos os processos eram arquivados em papel, enquanto que hoje tudo é digitalizado. Já quanto ao desafio da gestão ambiental para os próximos anos, o diretor de regulação cita a aplicação de novas geotecnologias para serem utilizadas à favor do estado, com o objetivo de evitar problemas operacionais que poderão vir a ocorrer.

Aberta a mesa de debates, o diretor de regulação foi questionado sobre a contribuição do estado diante do cenário de desmatamento. “O Inema mesmo que aprova a reserva legal, a própria supressão vegetal é muito bem feita no ponto de vista técnico, e somado a isso vem também o monitoramento das áreas desmatadas do estado que é muito bem feito no meu ponto de vista, porque hoje temos ótimos sistemas tecnológicos que nos ajudam na realização do trabalho em campo, a exemplo do sistema de monitoramento HARPIA, que utiliza uma metodologia que contempla a coleta semanal de imagens de satélite, viabilizando dados que sinalizam para a nossa equipe o decréscimo na vegetação, se houve desmatamento clandestino, dentre outros recursos que são de extrema importância numa operação de campo. Pra mim, a utilização desses recursos tecnológicos se faz fundamental nos dias de hoje”, responde.

Além disso, Leonardo ressalta ainda que “Temos um trabalho de campo que evoluiu bastante, porque além da fiscalização e monitoramento dessas áreas desmatadas, também temos Áreas de Preservação Ambiental do estado que são ligadas à empresas que já possuem uma iniciativa de preservação e conservação, apoiando e facilitando o nosso trabalho. Sendo assim, posso dizer que a Bahia pode usar sim isso como referência”, conclui.

Ao fim do evento, o diretor agradece o convite e  e ressalta a relevância de debates como esse. “Gosto de ouvir todos os lados, e o lado ambiental envolve equipe, envolve participação, então é sempre bom participar e contribuir com essa temática, principalmente porque procuro sempre tentar equilibrar tudo nos limites da lei. Então, agradeço pelo convite e parabéns pela iniciativa”, finaliza o diretor de regulação do Inema.

O Conselho de Sustentabilidade é formado por empresários e executivos de diversos segmentos e tem como objetivo, difundir boas práticas sustentáveis e discutir assuntos de âmbito social e ambiental, principalmente com enfoque na regularização do licenciamento ambiental, de maneira a contribuir com a promoção da defesa de interesses do setor empresarial.