Em retorno gradual, Inema divulga a balneabilidade das praias analisadas

Interrompido durante a pandemia do covid-19 o processo de balneabilidade das praias realizado pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) foi retomado.

Inicialmente serão retomadas a divulgação das praias de Salvador e Costa dos Coqueiros. As outras, que também são analisadas pelo órgão, terão o retorno gradativo, mas respeitando sempre as cinco (05) semanas seguidas de análise que antecedem a divulgação.

O Boletim de Balneabilidade divulgado semanalmente pelo Instituto analisa a qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário, ou seja, direto e prolongado, onde a possibilidade de ingestão é elevada.

Os critérios adotados pelo Inema estão definidos na Resolução CONAMA nº 274, de 29 de novembro de 2000. Adotou-se a Escherichia coli como indicador microbiológico, para avaliação da restrição. A E. coli é uma bactéria abundante em fezes humanas e de animais, tendo somente, sido encontrada em esgotos, efluentes, águas naturais e solos que tenham recebido contaminação fecal recente.

A amostragem é feita, preferencialmente, no dia de maior afluência do público às praias. A balneabilidade é considerada Imprópria quando a densidade de E. coli for superior a 800 UFC/100 ml, em duas ou mais amostras, de um conjunto de cinco semanas, coletadas no  mesmo local ou  o valor obtido na última amostragem for superior a 2000UFC/100ml.

Mesmo apresentando baixas densidades de bactérias fecais, uma praia pode ser classificada na categoria Imprópria quando ocorrerem circunstâncias que desaconselhem a recreação de contato primário, tais como: derramamento de óleo; extravasamento de esgoto; ocorrência de maré vermelha; floração de algas potencialmente tóxicas ou outros organismos e surtos de doenças de veiculação hídrica (Baseado no Art. 3º, §º1, CONAMA 274/2000).

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.

O Inema recomenda aos usuários das praias que ao observarem presença de óleo evitem fazer a utilização das mesmas e não toquem, nem removam os resíduos encontrados.  Ações de limpeza estão sendo realizadas em todas as praias atingidas. Caso encontre um animal com vestígios da substância, não toque e não devolva para o mar. Ligue para as autoridades competentes. O Inema segue acompanhando e mapeando as áreas atingidas para contribuir com as ações do Comando Unificado de Acidentes.

Baixe o aplicativo “Vai Dar Praia”, disponível para dispositivos móveis com sistema operacional Android, e confira a qualquer momento as informações sobre a qualidade das praias.

Veja abaixo a lista das praias impróprias para banho divulgada no dia 27/11/2020:

Salvador

São Tomé de Paripe (em frente à casa Vila Maria, ao lado da rampa de acesso à praia), Periperi (na saída de acesso à praia, após travessia da via férrea), Penha (em frente à barraca do Valença), Bonfim (ao lado da quadra de esportes, em frente à rampa de acesso à praia), Pedra Furada (atrás do Hospital Sagrada Família, em frente à ladeira que dá acesso à praia), Porto da Barra (Av. Sete de Setembro, em frente à Rua César Zama, junto à escada de acesso a praia), Farol da Barra (em frente às escadas de acesso à praia, na Rua Dias d’Ávila), Rio Vermelho (em frente à Rua Bartolomeu de Gusmão, próximo à escada de acesso à praia, ao lado da Rua Morro da Paciência), Armação (em frente ao Hotel Alah Mar e a Rua João Mendes da Costa), Boca do Rio (em frente ao posto Salva Vidas), Corsário (em frente ao posto Salva Vidas), Patamares (em frente ao posto Salva Vidas Patamares. Próximo ao Coliseu do Forró e Caranguejo de Sergipe) e Itapuã (em frente à Sereia de Itapuã).

Costa dos Coqueiros

Buraquinho (a cerca de 200 m da foz do Rio Joanes) e Praia do Forte (em frente à igrejinha),