Operação do Inema constata 295 ha de área decrementada no Sul da Bahia

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), por intermédio da Coordenação de Fiscalização (COFIS), ligada à Diretoria de Fiscalização Ambiental (DIFIS), realizou entre os dias 22/09 à 05/10, uma ação de fiscalização conjunta no Sul do estado da Bahia. Além dos técnicos do Inema-BA, participaram também as Unidades Regionais Sul e Extremo Sul, em parceria com a Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (CIPPA) de Ilhéus e de Porto Seguro.

Ao longo das duas semanas a operação foi subsidiada pela coleta de dados de geoprocessamento do Projeto Harpia – sistema de monitoramento da cobertura vegetal -, idealizado pela Coordenação de Tecnologia da Informação e Comunicação (COTIC/GEO), da Diretoria Administrativa Financeira (DIRAF), que computou cerca de 60 ID’s (polígonos) fiscalizados. Destes vistoriados, foram constatados aproximadamente 295 hectares de área decrementada (correspondente a 295 campos de futebol), considerando as ocorrências de supressão a corte raso e incêndios florestais.

Segundo a coordenadora técnica da COFIS, Natali Lordello, “as ações de fiscalização com o uso do sistema de detecção e monitoramento florestal realizado no âmbito do projeto Harpia tem avançado para a região sul e sudeste do Estado da Bahia. Logo tem-se a perspectiva de que toda a Mata Atlântica poderá ser monitorada visando implementar sistemas de alertas que serão utilizados para contribuir com a meta de redução do desmatamento ilegal”, destaca.

A ação, que também teve o apoio da Operação Mata Atlântica em Pé, ocorreu nos municípios Canavieiras, Santa Luzia, Camacã, Mascote, Itapebi, Belmonte, Pau Brasil, Santa Cruz Cabrália e Potiraguá. Durante a operação, foram observadas grandes áreas queimadas, algumas ainda relacionadas aos incêndios ocorridos em 2015-2016, ampliadas em novas queimadas e desmatamentos recentemente flagrados no sistema de detecção do Harpia. Além disso, também foram identificadas áreas de desmatamento para produção de carvão, áreas convertidas em pasto, cultivos de banana e corte seletivo para viabilizar cultivo do cacau-cabruca.

Para a coordenadora da Unidade Regional do Sul, Cibelle Rocha, a Operação Harpia é um sinônimo de avanço tecnológico no serviço ao combate do desmatamento da Mata Atlântica. “Operações baseadas na metodologia deste projeto possibilita o fácil acesso dos técnicos de fiscalização às áreas com decrementos, bem como possibilita a qualificação dos infratores, uma vez que possibilita a identificação das propriedades rurais que possuem cadastro ambiental rural (CEFIR), bem como, áreas indígenas e de assentamentos. Certamente, essa operação se tornará um marco no combate ao desmatamento ilegal da Mata Atlântica. Foi muito gratificante fazer parte dela”, afirma Rocha.

Segundo Patrícia Reis, coordenadora da Unidade Regional Extremo Sul, “o Projeto Harpia se tornou uma ferramenta de trabalho extremamente positiva, otimizando tempo, recursos e uma maior cobertura da fiscalização”, destaca.

Ainda durante a operação, foram realizadas apreensões de 1 (uma) arma de fogo (espingarda), 3 animais silvestres (2 (dois) foram soltos e 1 (um) foi entregue na UR Itabuna) e 4 (quatro) motosserras, as quais foram apreendidas e entregues na Unidade Regional de Itabuna.

Além disso, também foram recolhidos 7 m³ de madeira nativa desdobrada em pranchões, alguns exemplares de caibros e de ripões, evidentemente sem comprovação de origem florestal legal, sendo este material originário de inspeção em uma serraria no deslocamento entre os municípios. Posteriormente, esse mesmo material foi doado para a Prefeitura Municipal de Santa Luzia. Na ocasião, também foram demolidos 3 (três) formos que eram utilizados para a produção ilegal de carvão, provenientes de desmatamento ilegal.

Identificadas as irregularidades, foram aplicados 6 (seis) autos de infração em campo e emitido 1 (um) Termo de doação. As demais atividades ilegais verificadas no CEFIR serão tratadas a partir da análise dos devidos cadastros na sede do Inema e respectivas UR’s, bem como serão também dados os desdobramentos complementares às ações de campo como as notificações e autos de infração de multa.