Inema promove curso de capacitação para Resgate, Cuidado e Manejo dos animais

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), realizou por intermédio do Parque Zoobotânico de Salvador, durante os dias 02 a 06 de setembro, o curso de Resgate, Cuidados e Manejo (RCM) de Fauna Urbana Silvestre, com carga horária de 40h, para profissionais da Polícia Federal (PF), Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA), Corpo de Bombeiro Militar da Bahia (CBMBA), Guarda Civil Municipal (GCM), entre outros.

A capacitação, que aconteceu no próprio Parque, em Ondina, teve como objetivo habilitar os profissionais que trabalham diretamente com os animais silvestres de vida livre, diminuindo as possibilidades de acidentes entre os profissionais e a fauna, e treinando as equipes que faz a captura diária, com a intenção de desenvolver neles habilidades que impossibilitem qualquer tipo de lesão no animal no momento da apreensão.

Na oportunidade, foram abordados diversos pontos como: Cuidados sanitários básicos e zoonoses, Comportamento e bem estar animal, RCM de Pequenos e Grandes Carnívoros, Prática de Carnívoros, RCM de Herbívoros, RCM Primatas Não Humanos (PNH), Prática de Herbívoros e PNH, RCM e Prática de Aves, Ofidismo e Primeiro socorros, RCM e Prática de Répteis, Legislação Ambiental e Destinação de Fauna Silvestre, e o Papel da Educação Ambiental na sensibilização contra o tráfico de animais silvestres.

O evento teve como palestrantes especialistas e profissionais do Parque, entre eles, os veterinários Paulo Bahiano, Márcio Andrade, Victor Curvelo e Luciana Sobral, a bióloga Ana Celly e a Técnica do Meio Ambiente, Laís Ramos.

Segundo o biólogo Tiago Nilo, o foco é capacitar esses profissionais que lida diariamente com o resgate dos animais silvestres no combate ao tráfico, com “o intuito de passar um pouco de conhecimento sobre a importância do bem estar animal e a preservação do profissional contra zoonoses, além de habilitá-los para saberem como lidar nessas situações da melhor maneira possível, com segurança para o animal e para o indivíduo”, pontou.