Semana do Meio Ambiente: Educação Ambiental na Regulação é tema de oficina

Foi realizado na manhã desta quinta-feira (6) como parte da programação pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado na última quarta-feira (5), o segundo dia da Oficina Educação Ambiental na Regulação Ambiental. O evento aconteceu no Auditório da Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb) e contou com a participação de técnicos da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

A oficina tem o objetivo de alinhar as condicionantes de Educação Ambiental que é regimentada pela Resolução do Conselho Estadual do Meio Ambiente – Cepram de nº 4.610 de 29 de julho de 2018. Para atender a demanda, foi formado um Grupo de Trabalho (GT) com técnicos da Sema e do Inema com o intuito de compor o GT de Educação Ambiental, já que com a resolução foi estipulado 90 dias para elaborar um documento técnico orientador.

Presente na abertura do segundo dia do evento, a diretora-geral do Inema, Márcia Telles, disse que “essa é a primeira de uma série de informações reunindo técnicos que estão tanto nas Unidades Regionais quanto na sede e que lidam come esses processos para ajudar a compreender e aprimorar a resolução e também vivenciar exemplos”, completando que “o foco agora é aprimorar para colocar em prática nas atividades do dia a dia”.

Segundo a coordenadora de Educação Ambiental da Sema Zana Mattos, como é de suma importância a internalização da norma Cepram, o evento ajuda a alinhar as diretrizes que serão definidas pelos órgãos que são responsáveis pela gestão ambiental. “Esse evento é para tornar pública essa nova orientação que a gente conseguiu aprovar junto ao Cepram, fruto de uma construção coletiva entre Sema Inema e a Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental e agora uma vez publicada precisa ser internalizada pelo próprio órgão junto aos técnicos que vão utilizá-la como a normativa que vai orientar o condicionante de educação ambiental nos processos de licenciamento”, disse Mattos.

Já segundo a técnica do Inema, Dora Antunes de Campos a discussão foi muito produtiva. “Foi a primeira vez que nós, em grupo, regionais e técnicos da sede, discutindo e tomando posse das informações. Agora nós começamos a perceber a necessidade da aplicação e vamos identificar se existem falhas ao decorrer do tempo. Nessa Semana do Meio Ambiente realmente tivemos ganhos imensos”, salientou a técnica.