Inema segue com 100% das contas julgadas e aprovadas pelo TCE-BA

Na última terça-feira (25/06), em Sessão Plenária, o Tribunal de Contas do Estado da Bahia  (TCE-BA) julgou as contas do exercício de 2017 do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), com decisão unanime de aprovação pelos Conselheiros da Corte.

O TCE-BA baseou-se na manifestação técnica dos gestores do Instituto, no Relatório de Auditoria e pareceres do Ministério Público de Contas e Assessoria Técnica e Jurídica, que convergiram todos pela aprovação das contas do Inema.

Com isso, mais uma vez, aprovaram-se os procedimentos relativos aos aspectos orçamentários, financeiros, contábeis, patrimoniais e operacionais da execução da despesa orçamentária, licitações, contratações diretas, contratos, convênios, sindicâncias e área patrimonial.

A diretora-geral do Inema, Marcia Telles, enalteceu o empenho do Instituto em se manter 100% com as contas julgadas e aprovadas. “Com isso o Inema confirma gestão com 100% de contas julgadas e aprovadas, demonstrando seu compromisso pelas boas práticas de gestão dos recursos públicos, em atenção às normas e as orientações dos auditores do TCE”, afirmou Telles.

De acordo com a titular da Diretoria Administrativa e Financeira (DIRAF) da autarquia, Daniella Fernandes, “a aprovação das contas pelo Tribunal é a demonstração de que o Inema vem desempenhando suas competências em harmonia com a estrita legalidade, sempre atento ao aprimoramento da gestão administrativa e implantação eficiente das políticas públicas, como verdadeiro reconhecimento que a gestão busca a efetivação e melhoria dos serviços públicos ao longo desses anos”.

Para o assessor da DIRAF, Yuri Schindler Coutinho, a aprovação das contas do Instituto vem como reconhecimento e estímulo ao trabalho desenvolvido pela DIRAF, que desde a criação da autarquia em 2011, implantou a cultura de harmonizar-se com o entendimento da Corte de Contas, sempre dedicando especial atenção às orientações dos auditores. “Entendemos que a aprovação das contas pelo órgão de controle externo decorre da conscientização de que o interesse de ambas as casas é comum, para o fim de tornar a Administração mais eficiente, onde o trabalho de auditoria das contas do gestor pelo TCE-BA é realizado por competentes profissionais dedicados à melhoria da máquina pública”, considerou.