Inema resgata mais 700 animais da espécie caranguejo-uçá no litoral norte do estado

Com o início do período de defeso do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) e da lagosta, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) realizou, entre os dias 08 e 12/1, ações de fiscalização nos municípios de Conde, Entre Rios e Mata de São João. Durante a atividade mais de 700 animais da espécie caranguejo-uçá, capturados irregularmente, foram resgatados e devolvidos aos manguezais do litoral norte do estado.

A operação, que contou com o apoio da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA), visa o cumprimento da Instrução Normativa Interministerial nº 6/2017, que estabelece medidas de proteção ao Ucides cordatus durante a “andada”, período em que ocorre sua reprodução.

De acordo com o coordenador de fiscalização do Inema, Miguel Calmon, o órgão intensificou a fiscalização e no mês de fevereiro realizará uma grande operação para combater a pesca predatória em todo o litoral baiano.A restrição da pesca tem o intuito de proteger determinadas espécies, que são exploradas comercialmente no período reprodutivo. Além das medidas punitivas, as operações realizadas pelo Inema tem caráter informativo, o mais importante é promover a sensibilização da população quanto à necessidade de preservar estas espécies”.

A ‘andada’ é o nome dado ao período reprodutivo do caranguejo-uçá, no qual os machos e fêmeas saem das tocas para o acasalamento e andam pelo manguezal para a liberação de ovos, tornando-se vulneráveis à pesca predatória. Ela pode ocorrer de novembro a março, com picos em janeiro, e geralmente se inicia um dia após a lua cheia ou nova, prolongando-se por até 6 dias.

A Instrução Normativa proíbe a captura, o transporte, o beneficiamento, a industrialização e a comercialização de qualquer indivíduo da espécie em 10 estados do país: Bahia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.