Inema apresenta estudo com novas propostas de regras de operação para barragens

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) recebeu, na manhã desta sexta-feira (10/11), na sede do órgão, diversos representantes de secretárias ligadas à gestão de recursos hídricos na Bahia. O principal objetivo foi a apresentação do estudo financiado pelo Programa SWAP-Bahia, com recursos do Banco Mundial, visando a revisão das regras operacionais das barragens de Pindobaçu, Ponto novo e Pedra do Cavalo.

O encontro contou com a presença, além de técnicos do Inema, integrantes da Empresa Baiana de Águas Saneamento (Embasa), Companhia de Engenharia Ambiental e de Recursos Hídricos da Bahia (CERB), Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia (SIHS) e Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia (Seagri).

O projeto é uma das demandas prioritárias do Governo do Estado. Nele foi feito um diagnóstico de dois sistemas de barragem: Pedra do Cavalo, na bacia do rio Paraguaçu e as barragens de Ponto Novo e Pindobaçu, na bacia do rio Itapicuru. A ação coincide com a crise hídrica que atinge não só a Bahia, mas também diversos estados do Nordeste do país, dando uma nova luz sobre o sistema de gestão das águas no estado baiano.

Segundo José Mário Miranda, o consultor especialista em recursos hídricos contratado pelo Inema, essa proposta operacional, integrada com a previsão meteorológica, vai permitir manter a segurança de proteção contra cheias nos municípios de Cachoeira e São Felix, a tempo que aumentando a disponibilidade hídrica para a segurança operacional dos sistemas de abastecimentos atendidos pelas referidas barragens.

“Este trabalho teve um desafio muito grande, pois nós estamos inserindo conceitos novos, como operar a barragem de Pedra do Cavalo com a antecipação do conhecimento das vazões afluentes e da meteorologia. Com isso nos vamos poder aumentar a acumulação útil de Pedra do Cavalo em quase 400 milhões de m³, isso significa ampliar mais do que a região metropolitana tem de disponibilidade, sem investimento físico necessário”, esclareceu o consultor.

O diretor de Águas (DIRAG) do Inema, Eduardo Topázio, responsável pela formatação e acompanhamento do trabalho, enalteceu o projeto, onde as propostas apresentadas dão um salto na gestão de reservatórios no Estado da Bahia. “Hoje nos reunimos com vários representantes do Estado para uma apresentação definitiva desse trabalho que nos foi demandado originalmente pela Casa Civil através do comitê de Convivência com o Semiárido apenas para Pedra do Cavalo. Com ele, estamos partindo para um novo patamar de qualidade na gestão desses recursos hídricos, e atendendo a diversas demandas do Estado e aumentando a segurança hídrica para esses dois mananciais”, disse o diretor.