Sema e Inema participaram de debate sobre a revitalização do Rio São Francisco

A Revitalização do Rio São Francisco foi pauta de debate na audiência pública realizada na segunda-feira (2), na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, proposta pela Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos. Contribuindo com a discussão, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Inema) foram representados, respectivamente, pelo superintendente de Políticas e Planejamento Ambiental, Aderbal Castro, e o diretor de Águas do Inema, Eduardo Topázio.

“A realidade do São Francisco é tema constante nas reuniões periódicas com os 10 estados brasileiros banhados pelo rio, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), para avaliar as condições hídricas e medidas a serem adotadas na referida bacia, como o controle no monitoramento da vazão e o manejo sustentável dos recursos hídricos. Neste momento de crise é importante que os estados se mobilizem para a captação de recursos para os investimentos necessários para a revitalização do rio São Francisco, explicou Castro.

O superintendente da Sema destacou a atenção da região nordeste com a crise hídrica, por meio da criação de um Fórum de secretários do Meio Ambiente, para estar discutindo e avaliando as condições hídricas na região. Numa perspectiva estadual, Aderbal citou, também, o esforço do Governo da Bahia para a aprovação dos planos de bacias hidrográficas, com a cooperação dos Comitês formados por usuários de águas, representantes do poder público e sociedade civil, que são instrumentos fundamentais na gestão e planejamento dos recursos hídricos”, pontuou.

Crise hídrica – De acordo com o diretor de Águas do Inema, Eduardo Topázio, a Bahia está passando por um longo período de estiagem, sendo necessário ações conjuntas para minimizar os efeitos da crise hídrica que dura mais de seis anos. “Inclusive, estamos dialogando com os Comitês de Bacia Hidrográficas sobre reduções de águas das jusantes da área do Sobradinho represada das águas do rio São Francisco”, disse Topázio.

“Sobradinho é o maior reservatório do Nordeste e está muito próximo do volume morto. Portanto, é necessário garantir a continuidade do abastecimento e da oferta de água para atividades produtivas”, comentou o especialista. O boletim divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA), no final de setembro, aponta que a barragem está com 5,87% do seu volume útil. E a curva vem sendo cada vez mais decrescente. No início do ano, chegou a 30%.

Com cerca de 2.800 km de extensão, o rio São Francisco é um dos mais importantes cursos d’água do Brasil e da América do Sul. O rio passa por cinco estados e 521 municípios, sendo sua nascente geográfica no município de Medeiros e sua nascente histórica na serra da Canastra, em São Roque de Minas, centro-oeste de Minas Gerais. Seu percurso atravessa o estado da Bahia, fazendo sua divisa ao norte com Pernambuco, bem como constituindo a divisa natural dos estados de Sergipe e Alagoas e, por fim, deságua no oceano Atlântico.