Inema cadastra primeira Área de Soltura de Animais Silvestres

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), autarquia da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), cadastrou no estado da Bahia, a primeira Área de Soltura de Animais Silvestres (ASAS), situada no município de Campo Formoso.

De acordo com a Portaria Inema Nº 12.493/2016, as Áreas de Soltura de Animais Silvestres são propriedades rurais propícias à soltura de animais silvestres, selecionadas a partir da manifestação voluntária de proprietários interessados e das características ambientais adequadas para sobrevivência dos espécimes reintroduzidos.

É o caso da Fazenda Cercadinho, que reservou 1 hectare da propriedade para a criação da ASA. “Esta área de soltura de animais silvestres tem importância estratégica para o Inema, pois além de estar situada no Boqueirão da Onça, região de alta importância biológica vai receber indivíduos de uma espécie ameaçada endêmica do estado da Bahia”, destacou o secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, acrescentando a expectativa que outros proprietários manifestem interessem nesse credenciamento.

Segundo o biólogo Thiago Filadelfio, do ICMBio, responsável pela gestão da ASA através do Plano Nacional de Ação (PAN) do órgão, as áreas são fundamentais para a destinação de animais apreendidos, capturados ou entregues de forma voluntária aos técnicos do Inema, que estejam em boas condições para soltura imediata, ou após um período de reabilitação. “Além de reduzir o número de indivíduos nos Centros de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), garantem aos animais maior chance de sobrevivência”, ressalta.

Para o diretor de Biodiversidade do Inema, Valdemilton dos Santos, o cadastramento de áreas para soltura possibilita que animais apreendidos possam ser destinados para em uma área preparada exclusiva. “O cadastramento da ASA no município de Campo Formoso, além da propriedade estar inserida dentro de uma área conhecida como Boqueirão da Onça, é uma ASA do tipo III, na qual o proprietário irá construir recintos para serem utilizados na readaptação e aclimatização de algumas espécies”, explica.

Nessa área, que recebeu investimentos de compensação ambiental do Complexo Eólico Green Power Brasil, já está previsto a soltura de alguns indivíduos da Arara-azul-de-Lear (Anodorhynchus leari), que atualmente está enquadrada na categoria ameaçada.

Portaria Inema Nº 12.493/2016
Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos gerais sobre a destinação de animais silvestres provenientes de captura, apreensão ou entrega voluntária e cadastro de áreas para soltura de animais silvestres. A área denominada Fazenda Cercadinho, situada no município de Campo Formoso, foi a primeira área a ser cadastrada pelo INEMA como ASAS com objetivo de soltura de indivíduos da espécie ameaçada arara-azul- de-lear (Anodorhynchus leari), por fazer parte da área de ocorrência da espécie e apresentar características ambientais adequadas à soltura dos animais.