Baía de Todos os Santos: uma praia imprópria para banho

Das praias avaliadas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) na Baía de Todos os Santos, a praia de Itaparica (Em frente ao forte são lourenço).

O diagnóstico das condições de balneabilidade é obtido mediante o recolhimento de amostras, durante cinco semanas, nas praias da Itamoaba, Botelho, Madre de Deus, Bom Jesus dos Pobres, Cabuçu, Itapema, Salinas, Conceição de Salinas, Cairu de Salinas, Encarnação,Mutá, Cações, Cacha Prego, Berlinque, Aratuba, Barra de Tairú, Barra Grande, Conceição, Barra do Pote, Coroa, Vera Cruz, Barra do Gil, Penha, Mar Grande, Itaparica, Ponta de Areia, Amoreiras, Gameleira.

O material é analisado e os exames bacteriológicos confirmam as praias impróprias para o banho. A praia é considerada própria quando houver no máximo em 80% das amostras, 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou ainda 100 enterococos por 100 mL de água. Ainda que nas análises anteriores a qualidade da água esteja dentro dos parâmetros considerados próprios para banho, se o valor obtido na última amostragem for superior a 2500 coliformes termotolerantes ou 2000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 mL de água, a praia é considerada imprópria. Esses critérios foram estabelecidos pela resolução 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.